quarta-feira, 22 de abril de 2020

O QUE NÃO TE CONTAM SOBRE AS TRANÇAS

Hello meninas, amigas e leitoras doi Blog Menina Caprichosa, hoje estou aqui para falar das minhas  tranças afro, ou boxer braids, ou trança nagô, ou tranças kanekalon são vários nomes e fico meio perdida.

                                            A história das Tranças 
As tranças existem há milênios e foram usadas por diversos povos e culturas ao longo da história. Por algum tempo as tranças serviram ao longo do tempo para identificar desde origem e posição social, a fase da vida (idade, estado civil), etnia e religião. Na cultura Africanas os  os penteados sempre foram carregados de grande simbologia, essas todas citadas acima e muitas outras, como na religião, como rito de passagem, de transformação, ex: quando o indivíduo ocupa um novo papel na sociedade, passagem chamada de feitura do santo, onde é realizada cerimonia de raspagem dos cabelos, é uma espécie de renascimento, onde a pessoa é "batizada" com um novo nome, inclusive. Então é nítido que o significado social do cabelo era e continua sendo uma riqueza para o/a africano/a e hoje para todos/as os negros/as.Sabemos que após a escravização dos povos africanos o cabelo foi também um instrumento importante de comunicação, com a utilização dos penteados para esconder e disseminar mensagens por todo o mundo, também há estudos que apresentam a utilização das tranças para a alimentação, via a guarda de sementes nos cabelos pelas mulheres escravizadas, que com elas tinham a oportunidade de praticar um pouco de agricultura e suplementar a alimentação das suas famílias, um passado rico em resistência e cultura.

Porque eu fiz?
Sempre tive vontade de fazer, as vezes me sinto meio deslocada porque não sou branca e não sou negra então esse meio termo é meio chato, ah e na minha certidão de nascimento está que sou branca pois meus pais são brancos. A família do meu Pai é branca a da minha mãe é mista pois meu avó era Negro e a minha Avó Loira de origem portuguesa. Dos netos só eu herdei a cor dele e durante a minha vida tive que explicar muito isso para justificar a minha cor para as pessoas, sofri preconceito sim, e até me perguntavam se eu era adotada, imagina isso para uma criança e pré adolescente.
Então como  uma forma de resgatar e homenagear essa minha origem decidi fazer as tranças eu tinha muita vontade de mudar, mas jamais cortaria ou colocaria química no meu cabelo, fora que isso é muito significativo não?
O processo
As tranças demoraram sete horas para serem feitas, foi bem cansativo, cheguei na hora do almoço e só sai de noite. Foram duas trançistas trabalhando e dói, dói o couro, o pescoço a costa e a bunda que fica quadrada, no total foram 80 tranças, e no fio tinham 8 linhas + o meu cabelo. Depois que o cabelo é trançado é cortado os fios arrebentados e friz que ficam para fora e queimado a ponta da linha. No meu caso um palmo no cabelo era só linha o resto era o meu cabelo mesmo.
Os três primeiros dias são os piores, a cabeça dói, no meu caso tive muita coceira, era insuportável e eu tive que coçar, colocar gelo ou espirrar água gelada ajuda também, como puxa o couro cabeludo machuca a raíz e eu tive vários machucadinhos, fiquei cheia de casquinha e eu como tenho toc arrancava. Foi difícil dormir, achar uma posição legal, porém depois de três dias tudo ficou melhor.
Olha só o resultado:




MANUTENÇÃO
Bem a manutenção da trança é bem complicada, comprei alguns produtos específicos para ajudarem nesse processo. É recomendado lavar o mínimo possível, e na raiz usar somente shampoo, no cumprimento é permitido usar condicionador. O meu cabelo levava seis horas para secar completamente e ficava muito pesado. Deixava ele em uma toalha, porque se secasse com o secador o friz aumentava e isso eu não queria. Sempre lavava ele na hora do almoço, porém um dia lavei ele no começo da noite e o cabelo não secou, a trança ficou com cheiro forte de umidade, o couro cabeludo tb cheirava assim e me incomodou muito. Eu  lavava as tranças  umas duas vezes na semana pois era acostumada a lavar o cabelo dia sim/ dia não então era muito difícil lavar uma vez a cada dez dias.
Depois de um mês os meus cabelos já começaram a sair da trança, a parte onde não tinha cabelo fica perfeita intacta mas a parte que tem o hair começa a se revoltar e ai fica feio, achei que estava na hora de tirar.

O processo de remoção
Gente essa é a PIOR parte de tudo, comecei a remover em um domingo ás 18:00 e terminei na segunda ás 19:00 nem contei as horas, meu braço ficou podre. Tive alguma ajuda sim mas a metade removi sozinha. E ai foi desesperador. Caia MUITO cabelo, e nesse um mês e pouco o cabelo escorrega da trança e ai vai enrolando e dando nó, ou seja embaraça MUITOOOO, tipo umas duas horas e meia  foi só desembaraçar com um pote de creme para ai sim tentar passar o pente de cabelo, pente largo, mas teve uma hora que tive que usar o mais fino, teve hora que tive que cortar o nó do cabelo, e muito cabelo arrebentou. Perdi 1/3 dos cabelos, chorei  parecia que ia ficar careca é desesperador. Naturalmente caem cerca de 100 fios de cabelo, x 40 dias façam as contas, fora o restante embaraçado, com nó e muitas pontas duplas. Isso porque antes de fazer as tranças eu fiz uma super hidratação, e meu cabelo estava TOP hein cheio de vitaminas.
Na imagem abaixo tem a linha, mais de 1kg certeza, os tufos de cabelo que caíram e as pontinhas cortadas. Depois que removi as tranças fiquei  quatro dias sem lavar e pentear o cabelo para não cair mais haha.
Não sei se vocês possuem noção, mas foi muito muito cabelo perdido, assusta né!


E essa foi a minha experiência, é uma pequena agressão ao cabelo sim, principalmente se você não está em fase de transição capilar ou possui cabelos longos. É algo a se fazer uma vez por ano hein. Não me arrependo, eu amei e se não fosse as pontas saindo eu ficaria mais tempo sim, me senti muito bem e empoderada com elas ♥
Quem sabe  no final do ano quem sabe eu faça novamente.
Beijinhos Caprichosos ;*

4 comentários:

Pathy Guarnieri disse...

O processo de colocar e remover deve ser cansativo e doloroso mesmo, mas ao final, vale a pena. Ficou lindo em você!

Beijo!
Cores do Vício

Mariana Leite disse...

Caramba o processo é bem difícil mesmo eu não teria coragem de botar.

Beijos já sigo vc
Segredosdamarii.blogspot.com

Meloren Moreira disse...

UAU tem que se pensar muuito antes de fazer né? mas eu adorei em você

beijo
A mina de fé

Laís Barreto disse...

Amiga, pelo menos ao meu ver te considero negra sim. Na certidão toda criança nasce branca praticamente, escurece depois. Eu sou um pouco mais clara que voce, tenho cachinhos também, minha mãe é filha de negra com branco e meu pai era filho de índia com branco. Eu me considero negra hoje em dia. Há uns 3 anos achava que era parda, mas acho que pardo é papel kkkkkkkkkk

Postar um comentário